Risco-China aumentou? Saiba o que esperar da segunda maior economia do mundo! | HORA H DO AGRO

Risco-China aumentou? Saiba o que esperar da segunda maior

Risco-China aumentou? Saiba o que esperar da segunda maior economia do mundo! | HORA H DO AGRO



e no cenário internacional dos temas que marcou esta semana foi a seca que atinge regiões da China cerca de províncias chinesas estão sofrendo com as altas temperaturas e um Observatório Nacional do país emitiu um alerta laranja o segundo mais Severo a seca tem impactado as lavouras desde o fim de Julho e Obrigado também algumas fábricas a paralisarem temporariamente as atividades devido à alta demanda por energia Este é o principal o tema Ou melhor o tema que

abre o Hora H do Agro de hoje para Tratar deste e de outros assuntos eu gostaria de apresentar os nossos convidados Tiago Aragão diretor de estratégia da arko Advice Tiago sejam muito bem vendo a hora do agro Olá obrigado pelo convite um prazer Pedro Renault economista do Itaú Unibanco seja muito bem-vindo suemori diretora de relações internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil seja muito bem-vindo Suemi Obrigada Kelly Vamos então dar i nício ao

nosso nossa primeira rodada que falamos sobre estilo e Thiago Eu começo com você como é que está o risco China neste momento pensando que por lá nós temos essa onda de calor paralisação de algumas atividades em fábricas ainda uma política de tolerância zero para covid- e mais recentemente algumas preocupações com bolha Imobiliária e piora da relação entre China e Estados Unidos aposta o ano é uma condição bem complexa para você analisar dizer pra gen te qual é o status

hoje é uma condição bem complexa e a uma condição complexa também para o próprio partido comunista chinês que eles não têm a resposta para ter que vai acontecer com essa convergência de tantos problemas no quartinho é em cima disso tudo ainda tem o Procel o quinto o congresso do partido comunista chinês acontece a cada anos e vai ocorrer agora entre outubro e novembro que deve coroao xi jinping terceiro mangá por mais que a situação seja muito complexa com umas

aceleração Econômica pesada ao mesmo tempo a política de covide zero é algo que o x enfim ele já está tendo problemas com vários membros do seu do seu governo Claro eles fazem umas críticas mais veladas mas há um desconforto sobre a política cobrir de zero onde muitos acabam questionando diretamente o desempenho por ela porque eles almejam serem selecionados para estar na no poli tiburu na na eleição agora mais pro fim do ano e a cerca ela vem com tudo porque a seca ela

gera uma série de problemas não só o problema agrícola na China mas também acaba afetando usinas termelétricas o Sudoeste do país os números usinas termelétricas e no qual eles dependem hoje existem uma Mais uma de uma dezena de cidades que estão sofrendo com blackout nos últimos dois dias filas de carros elétricos virando a noite para tentar abastecer e também por conta da do baixo nível nos seus vários navios Não estão conseguindo fazer o transporte na região então é

um problema ligado ao outro que gera um Efeito Dominó muito impactante para ser nem acaba tudo pressionando o XI jinping e quando se pressiona uma pessoa como xi jinping às vezes Infelizmente o cano de escape são as tensões em Taiwan ou no mar do Sul da China o aumento por exemplo de exercícios militares Olha que interessante esse ponto que você traz Thiago você já deixou aqui o link para nossa segunda ro dada eu vou voltar a falar com você sobre essa situação envolvendo

China e Taiwan que agradeço por enquanto a gente vai seguir agora esse debate analisando todas essas tensões colocadas aqui pelo Tiago na mesa a diversão também econômico Pedro aí eu te chamo para conversa para nos dizer se essa seca vai impactar ainda mais a economia chinesa uma desaceleração já que apontada também pelo Aragão e vou além pergunta sobre as a bolha Imobiliária da China como é que você tá entendendo o risco Tirando esse momento da alto tá baixo conta para gente

Pedro e o excelente pergunta o Tiago mencionam a questão do convite zero e aí você coloca o ponto da mercado imobiliário eu digo que a China ela tem dois problemas a outra impostos são escolhas que o governo fez a coerência zero é uma ela mina potencial de crescimento porque eles ficam abrindo e fechando já criaram no ao que parece que não vai levar novos fechamentos de cidades mas criou o primeiro semestre desse ano bastante negativo E aí tem um segundo problema é o

mercado imobiliário fizeram a pessoa muito forte regulação que levou uma situação complicada a evergreen foi a primeira das grandes incorporadoras a ficar sem ar lá atrás aí o governo afrouxa um pouco regulação mas o que vem acontecendo é que elas ainda estão em situação financeira delicada as famílias em plástico causa do próprio ouvido não tem comprado muito Imóveis talvez também porque eu não quero comprar um imóvel só tem dúvidas e se ele vai me ser entregue lá na frente

a confiança não tá das mais fortes e aí você tem uma dinâmica onde a economia ela tem falhado em pegar no tranco primeira metade do ano a causa do hotel a segunda metade do ano por enquanto luta mostrando nada brilhante a China uma meta de crescer cinco e meio por cento esse ano eles vão crescer mais para perto de três , na nossa projeção com vier de baixa pela questão da seca Essa não é uma escolha ela no entanto ela tem efeitos que poderiam ter sido mitigados com

algum tipo de planejamento olhando mais para menor dependência de alguns modais energéticos o fato é que na hora de emergência não tem muito para onde correr economia chinesa é base da indústria Global a gente já viu nos últimos anos o que acontece na hora que as coisas param por lá e a gente está suscetível a um novo choque desse está como a diferenç a e seria a China vai parar talvez é enquanto o resto do mundo não tá no mesmo ciclo não vai ser um choque tão Global

negócio um pouco mais Regional e com outro ponto a China vai Talvez fornecer menos produtos em um contexto de Economia global que já tem demanda em queda então o funcionário vindo Daí pode ser menor por outro lado é um novo choque em cima de uma economia que já tá toda desorganizada sem a gente vende anos de choques final das contas tá vir ando Quase que o padrão poderia guerra agora questões climáticas bastante complicadas então é um quadro onde o investidor as empresas a

pessoa física fato precisam tomar bastante cautela aqui muito interessante os pontos que você coloca sobre esse choque né na economia chinesa que já vem de um Abalo no primeiro semestre inclusive uma revisão no potencial de crescimento com viés de baixa contato pelo Pedro Obrigada Pedro por enquanto a gente vai avançar nes sa discussão que tá muito interessante avançando e afunilando um pouquinho mais começamos pelo macro geopolítica avançamos para os efeitos econômicos e

esperados e contágio na economia global e agora a gente vai para o setor agrícola agropecuário que a Suelen lidera na CNA essas relações entre e você me acredita que essa seca que atinge as lavouras da China mas todos esses elementos colocados aqui pode levar demanda por produtos agrícolas do Brasil como é que vocês estão analisando esse momento que a China passa e os efeitos de Contagem para o Brasil já que a China é o nosso principal parceiro comercial Suemi Kelly e

assim assistindo é um gigante e qualquer movimento que ela faz impacta no mundo inteiro não só no Brasil né Essa questão da seca essa região por exemplo que tá mais afetada ela é responsável por setenta por cento da produção chinesa de arroz e é uma região que produzir tudo soja vegetais é trigo e milho Então se usa especialistas o que a gente tem acompanhada que a principal preocupação é com relação ao arroz e com relação ao milho é o Brasil não é um dos principais

exportadores de arroz para não figura entre os principais exportadores de arroz para Platina pela pelo tipo de ar Ah entendi também pela questão logística Então os países mais próximos índia Paquistão Vietnã são os principais fornecedores de arroz para ir para Platina eh e enfim conheci com esse Abalo tão grande sendo uma região tão importante para a produção de arroz pode ter algum movimento internacional no mercado internacional por causa disso Apesar de que a China tem uma

política de segurança alimentar muito rígida e os o governo tem dito que para os alimentos básicos e fundamentais eles têm no arroz presente eles soltaram dado sendo que noventa e cinco porcento de estaria garantido Mas enfim diante dessa realidade a gente não sabe tem que esperar um pouquinho mais para ver o que que efetivamente vai ser recolhido para ver o impacto disso um relação ao milho é o a China importa muito dos Estados Unidos o primeiro os portadores da Ucrânia

e o Brasil agora vai contar começando a né e recentemente para exportação de milho então assim Pode ser que haja alguma a gente consiga ver é um aumento Enfim uma coisa favorável no cenário favorável à a questão da exportação de milho brasileiro para a China em função do impacto negativo que tá tendo a questão da seca na região interessante esse urgente excelente primeira rodada aqui do nosso painel a gente vai avançar agora a sua eu te agradeço por enquanto Agradeço aos

nossos convidados e vamos adiante dá início ao segundo tema do programa de hoje que é justamente sobre Taiwan outro tema que é monitorado sobre China é a relação com os Estados Unidos que foi abalada devido a viagem da presidente da Câmara norte-americana n esse pelossi a Taiwan lembra lá no começo de agosto né no início da semana o governador de Indiana nos Estados Unidos esteve em Taiwan marcando a terceira visita de um representante do país a ilha neste mês na

quinta-feira uma parlamentar dos Estados Unidos também viajou até à Ilha Vale lembrar que recentemente os Estados Unidos anunciaram um acordo comercial com Taiwan fato que elevou ainda mais a tensão entre chineses e americanos esse tema impor ta demais para o Agro brasileiro e é por isso que a gente vai focar nossa atenção nele agora Tiago a primeira pergunta dessa segunda rodada para você a China até o momento anunciou apenas o corte de diálogo ali

como Estados Unidos é alguma piora nessa relação em alguns temas uma Retaliação mais rigorosa ainda está por vir você é a pouco nos dizia que o aumento da tensão interna na China pode levar gente a colocar as atenções em Taiwan até eventualmente para criar uma cortina de fumaça que que tá no seu radar em a pele é eu sou uma pergunta que eu respondo tô respondendo diariamente para os clientes que tem esse que quase todos estão acompanhando a questão da china para

atenção bom Primeiro as tensões elas são crescentes e eu vejo que após a visita da Nancy Pelosi foi uma visita que o baile tentou impedir até o último segundo ele ela no avião e ele pedindo para ela não ir mas ela tomou a de cisão particular e foi o acúmulo dessas visitas ela gerou uma pressão muito grande em cima do xi jinping e um ponto interessante aqui aqui lá atrás no começo as quando deng xiaoping começou a zonas econômicas na China e aí começou essa relação

forte com a produção industrial uma coisa que ele falou foi a prosperidade a estabilidade do partido comunista chinês depende da prosperidade da economia a economia chinesa enfrentando algum problema como foi é colocado esse problema indicando que o crescimento aquela era do crescimento Dourado ela vai começar a até um problema para Ostentar o cano de escape natural não só na China mas em vários países têm de ação nacionalismo ou seja o nacionalismo ele acaba sendo

um outro instrumento para que a sociedade ela abraça um projeto do governo já que a economia não é mais o artifício principal porque o governo consiga convencer a sociedade abraçado e o nacionalismo e le é Centralizado ao redor de Taiwan agora consequentemente isso gera vários impactos para o mundo nós temos por exemplo duas das principais indústrias de chips semicondutores a tsmc na em Taiwan e SMS Smith na na China são duas importantes que agora elas não

estão mais interligadas na recente decisão do governo americano no último mês é de que as empresas Americanas vão ter começar a deixar de comprar o chip semicondutores da fabricante chines a a fabricante taiwanesa ela fica na pressão porque noventa porcento do chips avançados no mundo e vão para tudo desde o Agro até outras áreas da economia são produzidos em Taiwan a medida que a China aumenta a pressão de exercícios militares em cima de Taiwan com intuito de

afastar os Estados Unidos eu não vejo a China fazendo nenhum tipo de ação militar em cima de Taiwan no curto prazo a invasão em Taiwan seria o ponto de desespero do parti do comunista chinês a partir do momento que se iniciam a perda da confiança da da sociedade local Então tudo isso como eu falei anteriormente a ligado no Efeito Dominó e a pressão que está seus coloca na China ela acaba forçando o x limpinha buscar alternativas de demonstrar poder ele não e

segue domésticas mente a saída dele é pressionar Taiwan por meio mais exercícios militares para mostrar para a sociedade quem é que ainda manda muito interessante Tiago a gente gosta muito de ouvir esses aspectos porque isso nos interessa demais China parceiro comercial estratégico do Brasil e Estados Unidos também é o mesmo tempo Estados Unidos um grande concorrente no mercado agrícola a piora da relação entre Estados Unidos e China é algo que a gente vai acompanhando

cada vez mais de perto Thiago acabou de nos dizer que as tensões São crescentes à medida que se acumulam essas visitas né os norte-americanos lá em Taiwan a u m aumento de tensões e a gente vai continuar monitorando isso de perto Obrigada Tiago aí a gente vai para você Pedro para saber que tipo de risco oportunidade Econômica para o Brasil e para o mundo a à medida que a uma piora na relação dos Estados Unidos e China se você concorda que há uma piora né diante dessa

situação de Taiwan Pedro o Olá eu acho que a primeira coisa que vem à cabeça de todo mundo não é que se fala de pior em relação Estados Unidos e China vai voltar a guerra comercial e na verdade nunca acabou né ela teve uma Paula outros assuntos ganharam prioridade mas depois que o baile virou Presidente inclusive não reverteu nada do que o presidente tronco fez lá atrás as medidas de protecionismo nos Estados Unidos a resposta curta a gente acha que não volta a se

intensificar Tá ok pelo contrário recentemente o baile tava tentando cortar impostos de importação da China produz produtos meses nos Estados Unidos para trazer a inflação para baixo então ele não tem interesse de parar de comprar da China e pressionar por isso próximo ter menor oferta a China não quer parar de mim depositar dormida ou ter uma pior mas relação comercial com esse é um país importante porque ele já estão com dificuldade de crescimento Eles não precisam

buscar mais uma né se tem as pessoas de segurança alimentar no necessariamente seria a melhor opção agora parar de comprar de alguém e colocar uma potencial fonte fora do mercado então o concordo com o Thiago que essas coisas elas são uma vez mais corrido do que é o que vai levar ações concretas ou lembrar que falando aqui de água no Brasil se a China para de comprar produtos americanos a gente pode se beneficiar no curto prazo guerra comercial entre Estados

desistindo a briga entre gigantes no final todo mundo se machuca tá a economia Global a sai pior desse tipo de evento que a gente acha que não se é fossa Mas de qualquer forma poderia trazer aqui uma alegria de curto prazo lá na frente uma dor de cabeça maior com o mundo mais fraco comentário rápido bem recente ao a notícia no hospital não que achei nos Estados Unidos estão conversando negócio super técnico ali mas e permite auditoria de companhias chinesas estradas

em Roncon pelos Estados Unidos de novo super técnico mais mostra que ele não pararam de conversar que ainda tem algum nível de diálogo ele não tão entrando numa guerra fria entre os dois países e tal Além do mais barulho de fato do que um divisor de águas muito interessante Então o Pedro tá aqui dizendo pra gente que uma guerra comercial intensa não é algo que ele vê neste momento em função de todos esses aspectos né seja essa crise alimentar ao redor do mundo sejam

esses fatores agora que você usa um exemplo técnico para mostrar que não houve um corte tota l de diálogo entre essas duas Nações Muito bom ouvir você também Pedro agora eu vou trocar aqui e vou direto para sua isso é me diga para gente ir na CNA vocês estão estudando todos os dias essa geopolítica da afinal de contas o Agro é um dos setores mais internacionalizadas da economia brasileira se acredita que a China vai aumentar a compra de produtos do Brasil diminuído os

Estados Unidos por conta disso conflito ou está em linha com que o Pedro falou n ão acredita que isso vai acontecer no momento Quais são os cenários que vocês traçaram a partir desse barulho todo vendo de Taiwan o Kelly A China é muito pragmática do ponto de vista comercial então assim ela tem todo o essa questão do que eu tive foi colocado na questão do nacionalismo e o que tem uma representa em termos históricos e tudo mas tudo ponto de vista comercial eu não consigo ver

a gente não vai prevendo nem um corte brusco na relação entre os Estados Unidos e a China o que acontece é que a China regula o seu mercado então às vezes ela fecha para algum para algum produto de algum país pensando na sua economia interna pensando no seu produtor do preço do seu produto na renda do Produtor ou essa semana por exemplo mesmo o departamento de agricultura dos Estados Unidos o ms e anunciou uma venda de mil toneladas de soja adicionais para China

então a gente tá vendo isso acontecer pelo regulad o pelo mercado existe uma questão de narrativa toda aqui por trás disso é mas a China em termos comerciais é extremamente pragmática É claro se tiver um outro fornecedor em termos de competitividade que foi mais competitivo e a China ver vantagem disso Ela vai para ele e é por isso por exemplo que a gente ele compra a China compra o volume que compra nós tanto de proteína animal quanto de soja então eu não consigo

ver o concordo com que já foi dito até agora não não acho que vai haver uma quebra uma ruptura o algo que realmente mexa no mercado mundial e em função dessa questão de Taiwan eu acho que a China vai continuar sendo muito pragmática questão da segurança alimentar é uma prioridade para o governo então a qualquer coisa que abale isso que possa abalar isso é visto é completamente descartável muito bem obrigado a Suelen pelas pelos esclarecimentos a gente volta com

vocês gente já já porque estamos a início a terceira rodada o grande tema desta semana também e este tema é a guerra o crânio a guerra na Ucrânia completou nesta semana meses e até o momento não há indícios de que o conflito deve terminar em breve na quarta-feira quando os ucranianos comemoravam o Dia da Independência militares Russos atacaram algumas cidades o presidente Vladimir zelenski que disse que o país vai lutar até o fim em relação ao agronegócio

apesar de alguns nav ios com grãos terem deixado a Ucrânia algum gesso ainda grandes incertezas sobre a capacidade de escoamento dos produtos que estão no interior do país por conta da logística ainda prejudicada vamos agora entender os efeitos da guerra na Ucrânia de agora em diante Tiago a gente viu no Brasil é feito direto na formação de preços de commodities globais que afetaram os preços aqui no Agro brasileiro pelos efeitos diretos na formação de preço de

energia o quê o que também foram sentidos aqui no mercado brasileiro a guerra na Ucrânia deve se estender por muito mais tempo na sua opinião que a gente pode esperar a partir de agora o jogo para solucionar o que a gente tem uma situação que ela é o pior a pior combinação possível numa situação como essa a gente tem um exército Russo que ele é ele é forte o suficiente para não perder mas ele não é forte o suficiente para ganhar e por outro lado a gente tem um
exército ucraniano que é forte o suficiente para não perder mas não é forte o suficiente para ganhar dado que a capacidade dos dois ela acaba gerando uma situação de estática por conta da dificuldade que um tem de ganhar no outro a gente em cima disso ainda tem a situação dos objetivos de cada lado se o objetivo Russo é garantir a manutenção da Crimeia e da dos territórios já conquistados no leste do país e no norte e também alguns no sul e isso é dia isso é

diretamente oposto os objetivos o creme anos os elementos que nunca vai a um acordo onde ele reconheça que esses territórios agora estão sob o controle exclusivo Então essa combinação não leva a nenhuma solução à exaustão poderia ser uma solução mas exaustão do ponto de vista uso mais que qualquer outra coisa a a cada dia que passa um creme anos eles estão a capacidade de defesa mais forte em algumas regiões eles conseguiram até fazer com que as trop as russas

recuasse nas últimas semanas eles vêm recebendo um fluxo muito grande de mísseis de médio alcance que são ótimos para impedir o avanço rosto mas o que a Ucrânia quer são mísseis de longo alcance para eles poderem atacar além dessa dessa linha russa para impedir os novos avanços E aí começar realmente a fazer ruim e toda a defesa de dos cursos até o momento o problema é que esses mísseis de longo alcance o baile não quer dar e ele instruiu os pa íses da otan para que

eles não avancem nessa linha porque isso poderia G A Escalada na reação russa o nosso risco tá na frustração russa já é frustrante desde o início porque é uma põe uma decepção muito grande para vários analistas militares no mundo o a forma como exército Russo avançou é o exército que demonstrou uma fragilidade muito maior do que muita gente Imaginava isso aumenta a frustração do pote e quando nós temos uma figura como Cu t frustrado isso abre margem para

riscos que não são contabilizados normalmente Como por exemplo o indo para o mais extremo o uso de uma arma nuclear tática como um instrumento de ação interna dentro da Ucrânia tudo isso aumenta o risco de uma atenção maior que vai estar a Polly as fronteiras da Ucrânia agora é só pra finalizar eu não vejo um risco dessa desse conflito expandindo para além da Ucrânia justamente pela falta de capacidade da própria R ússia desse em um embate contra alta e qual

crônicas Hortência dificuldade Qual o TAM Eles teriam uma dificuldade seria mortal para ele a situação vai continuar complexa o governo do potinho ele acredita que a reversão das sanções podem gerar a partir do momento que a pressão nos combustíveis fique maior ele realmente acredita que se ele mantiver uma pressão forte nos combustíveis as sanções podem começar a ser negociadas para ele poder ter uma i nfluência em cima da opec e liberar um pouco mais a produção ou

chegar num acordo com os países aumentar a produção Ou seja a gente tem na sua visão um espaço aí considerável de continuidade desse conflito só para deixar bastante colares para nossa audiência não é algo que vai tratar no considerável não é algo que vai terminar com os pratos muito bem muito obrigado Aragão Pedro diga para gente na economia a inflação no mundo né sentiu efeitos dessa guerra na U crânia aqui no Brasil a gente teve também efeito o cenário

teve efeitos no juro e tudo isso baixo no dólar que importa demais para o setor Agro Como que você conecta o a continuidade da guerra na Ucrânia se você concorda com Aragão e efeito de juros inflação e naturalmente em dólar efeito concordo acho que colocando de forma bem resumida não dá para dizer exatamente quando o conflito acaba e quando ele acabar é o que Tiago falou ali ninguém va i terminar muito satisfeito ele acaba o que sumiu a capacidade de Rússia diretor

Tropa de avançar ou nos encaminhando de existir e se chega a um acordo que provavelmente deixa a região um barril de pólvora ali por décadas polir sanções apesar a intenção Rússia de talvez que você tiradas eu sou só um negócio que você tira fácil você tem um precedente ruim da próxima vez e nem vai ter tanto medo dela assim então deve continuar conosco que significa uma economia global que vai continuar o problema de oferta e não dessa região essa mesma mencionou houve

uma exportação bem sucedida de uma remessa saindo da ucl e ainda volta muito timidamente para o mercado história de inflação no mundo teve essa questão da na Ucrânia como a cereja do bolo eu já tinha as pressões da anemia antes eu tinha todos os estímulos que foram colocados os problemas de cadeia de suprimento E aí eu esse contexto Global onde a inflação elevada levo u uma mudança na Maré para todo mundo subindo juros o Brasil foi o primeiro a fazer isso eu tenho perfume

no freio na nossa leitura inclusive não deve subir mais juro tá em ao ano e por lá fica durante um tempo em outros lugares você tem apertos por vir Banco Central americano por exemplo sabe de zero Os Atuais dois e meio por cento e na nossa leitura até o fim do ano vai estar em a hora que você tem juros subindo na principal economia Global percebida como livre de risco você tem uns que mudam porque atratividade do investimento ela se altera e significaria

força para o dólar tá dando um passo atrás só pra terminar esse ponto de inflação na hora que eu juro e a intenção é exatamente trazem posso comprar baixo fazendo demanda para níveis menores subir juro não vai fazer até mais oferta de petróleo ou vai resolver os problemas nos cabelos suprimentos mas diminui a demanda E aí para um mesmo nível de oferta problemática a gente começa a ver preço de commodities e quando tem acontecido no petróleo tem acontecido nos metais

minério muito ao sabor do que acontece na China e até nos cômodos agrícolas essas talvez por uma melhor é uma perspectiva de oferta no caso das alimenticis Eu também para questão do crânio com alguma esperança de voltar ao mercado é o caso por exemplo de algodão mais ligado ali só também já consumo né dos ser teixo arrefecendo junto com o resto aqui na medida que o juro sobe as economias pele hidratação a inflação ela deve da Selena o tempo aqui no Brasil a gente

tem momentos de deflação por causa de coisas específicas corte de impostos mas a tendência é de números menores a gente deve sair de doze por cento em abril foi o pico e o centro no fim desse ano perto de cinco no ano que vem tá então isso é uma tendência de recuo que a gente vê em outros lugares do mundo também montando no dó lar para terminar o ponto Você tem todos esses riscos ambiente Global azedo pressiona o humor dos investidores EA perspectiva de Julho nos Estados

Unidos fortalece a moeda norte-americana junta com o Brasil a gente tá entrando num círculo eleitoral que difícil dizer para onde nos leve exatamente nós sabemos costuma causar volatilidade a gente tem vulnerabilidades aqui dentro de casa dinâmica de contas públicas teremos semanas aqui meses Possivelmente ma is à frente com o bastante ruído então do ponto de vista do Agricultor do Produtor acho que o conservadorismo aqui é a melhor abordagem é o Focus para

o final do ano e tal está com qual taxa lembrando câmbio existe para humilhar economistas em contextos como atual é com a banda larga em torno do número legal obrigado a Pedro II Oi tá aqui com análises muito interessante sobre a guerra continuidade ou não dela efeitos na economia do mundo e do Brasil e a gente vai afunilando chegando nos impactos diretos na economia agrícola para o agronegócio Você acredita em um fluxo de escoamento de grãos da Ucrânia

ganhando mais potência o gente vai continuar com essa presença tímida da Ucrânia abrindo o espaço para mercados como do Milho né que a Cristina compravam muita Ucrânia agora Fechou um acordo com o Brasil deve incrementar essas compras que que muda na sua visão com a guerra na Ucrânia proagro só perspectivas de futuro em A Kelly é um pouco de imaginar que é uma bola de cristal né assim um cenário de incerteza assim ó essa esse escoamento que tá acontecendo recente que

aconteceu Ele traz uma esperança de que não se normalize mas se aumente um pouco pelo menos saia da estaca zero a questão dos grãos da Ucrânia eu acho que para o Brasil essa questão da Guerra ela geram estão desafios e também oportunidades que você acaba tendo que ter um rearranjo no global do que é exportado então a Ucrânia é um grande exportador de grãos então mundo precisa se reorganizar e claro que quando a gente fala de de agricultura sendo um dia um dia

para o outro se não dá para ligar a máquina e dobrar a produção então é uma coisa de Médio prazo a mesma coisa do desafio do outro lado a questão dos fertilizantes a questão dos insumos o aumento que teve da nisso geram que aumento para o produtor aumento do custo de produção que é impactado então assim se o eu falo assim o produtor que horta por exemplo ele Sporting dólar mas ele cumpra em dolar também então esse cenário de certeza ele tem o para o Brasil

especificamente de tem os desafios a serem enfrentados com relação ao insumo custo de produção e tudo mais mas tem também uma oportunidade aqui na CNA por exemplo é a gente viu claramente uma contato mais próximo das embaixadas por exemplo nos procurando p ara saber qual seria a política do Brasil se o Brasil e adotar medidas protecionistas como vários países fizeram desde a época da desde o início da pandemia até agora porque a questão da segurança alimentar é uma

prioridade para o mundo inteiro né Então as outros países outros governos perguntando para nós o que que o Brasil faria se o Brasil em pouco por exemplo restrições às exportações agropecuárias né e a gente sabe que aconteceu né sua import ante deixar claro para audiência da Jovem Pan que o Brasil permaneceu como um parceiro com em casa mesmo importação e ainda mantendo abastecimento à população brasileira que não viu faltar alimento e nenhum aumento né exatamente a

gente aumentou inclusive as nossas exportações EA gente assegurou para esses países que a gente tinha condição sim de manter as exportações aumentar e abaixar o abastecimento interno por isso que eu falo que tem essa questão desafio mas ela tem uma questão de oportunidade a nossa agropecuária ela é muito resiliente ela se mostrou isso nesse período também a gente tem uma produção muito eficiente e diversa por isso que a gente consegue manter Então eu acho que a questão da

Guerra independente do prazo que ela que ela continue eu também não tenho bola de cristal para dizer quanto tempo ela vai durar já era um desafio é uma oportunidade para o setor agropecuário brasileiro muito obrigada Sue len vamos agora a última rodada desse painel a rodada sobre gás natural é um outro desdobramento desse conflito entre Rússia e Ucrânia que continua no nosso radar aqui no ar água do Agro e tem a ver com a alta dos preços do gás e na Europa Eles foram os

fatos que marcou a semana também além da onda de calor que tende a elevar a demanda por energia a Rússia anunciou que irá paralisar por três dias o fornecimento para região da Europa por conta da necess idade de uma manutenção da infraestrutura mas o temor é que o retorno do abastecimento não aconteça nesta semana o preço do gás natural europeu superou o pico de EA alta de custos está forçando empresas de adubos a reduzirem a produção ou até mesmo deixarem

de fabricar fertilizantes nitrogenados vai lembrar que o gás natural é um dos principais insumos utilizados na fabricação dos fertilizantes nitrogenados ou seja tá tudo muito conectado com o unive rso Agro vamos para a última rodada com os nossos painéis listas Tiago diga para gente a Europa está enfrentando um grande desafio aí energético também com efeitos econômicos sociais e o inverno ainda não chegou por lá que deve acontecer a partir de agora hein o Papa Europa está

enfrentando uma situação complicada EA Rússia ela tem uma capacidade muito alta de realizar jogos ecológicos com bastante eficiência e esse no fornecimento de gás é o principal j ogo psicológico do momento porque não é a primeira vez que a Rússia suspende a exportação de gás ela faz isso ela vem fazendo isso esporadicamente nos últimos meses cada vez que uma desculpa diferente que tá numa fazendo manutenção ou que deu problema em determinado. Mas isso já afeta

diretamente não só os governos europeus Mas isso também traz um benefício da política antagônica entre Rússia e membros da União Europeia de deixar a sociedade alarmada col ocando pressão nos seus governos E cada vez que a sociedade coloca pressão nos seus governos da Ótica russa a Rússia ganha uma vantagem no processo de negociação isso é um ponto é muito ponto é que à medida que o os países na Europa estão tendo dificuldade o mesmo se fala na cidade na China em

algumas outras partes do mundo estão tendo dificuldade de ter acesso ao gás e acesso a outras fontes de energia tudo é narrativa que vem com muita força no âmbi to Global quando o baile foi eleito de uma promoção global de energia sustentável de energia verde e isso fica temporariamente pausado e colocado por uma segundo. Onde você vê que a China tá usando voltou a usar carvão com a força muito grande a Polônia voltou é tá usando o carvão com força e

várias usinas nucleares que estavam sendo planejadas de serem fechadas não vão fechar apesar de ser uma energia limpa uma energia um pouco mais cont raditório mas inclusive o carvão na Alemanha e em outros países volta à pauta justamente pela incerteza que a Rússia vem gerando no fornecimento de gás e o relógio tá girando a aproximação com o inverno vai gerar uma pressão muito maior vai dar uma vantagem nessa guerra psicológica para Rússia em relação à Europa e

ali onde a Rússia espera forçar os países europeus a defenderem a posição russa Ou pelo menos a expectativa Rússia de uma negociação qualquer interessante de a glória é um universo bastante complexo para usar uma palavra que a gente já usou aqui várias vezes e que acaba impactando nesse xadrez da geopolítica eu vou adiante perguntando a você Pedro Que tipo de efeitos a gente vai ter dessa situação da Europa passa na economia do mundo e aqui do Brasil na sua

avaliação o efeito Vamos conversar no telefone a Europa eles vão entrar em recessão não tem que falar de uma recessão Global Esse é o mundo vai desacelerar Mas no geral ele deve ter crescimento fraco não negativo nesse ano ano que vem na casa dos dois por cento quando a gente liga eles e só a gente às vezes vai pensar - - no mundo crescer abaixo de três ontem por exemplo a China que tipicamente puxar muito pra cima Isso já é fraco mercado Já prata como uma recessão

Global por assim dizer que valeu Raw converter recessão de verdade esse ano eles terminou ainda bem que a primeira met ade foi forte e teve um turismo mas no quarto trimestre chega o inverno bom Entrar em relacionamento quem mais sofre Alemanha Itália mas outros países vão ter problemas também o ano que vem a gente tá falando de crescimento negativo de fatos na Europa - meio por cento na nossa projeção com o risco de ser inclusive pior Europa é muito importante no

fornecimento de uma série de produtos e mencionou muito bem os fertilizantes e são menos é dizer hegemônicos na economia internacional do que por exemplo a China então não esperaria antecipar Iraque um impacto tão grande como foi a crise econômica na China atualização como seria aqui com o suposto a China tem que fazer racionamento de energia intenso como é risco que eles não conseguem gerar mais hidrelétricas com a seca tá é um choque que ele piora obviamente condição

de ofertas e os produtos eu diria em um contexto economia Global do acelerando ele até reforça ir é um vejo uma inflação muito grande vindo ali pensando em setores o que você pode ser desafios maiores inoagro pela questão que fertilizante você tem um pão de atenção importante não E como você mencionou produção de fertilizante ela é muito intensa de energia muito intensiva em gás natural a cidade aí a gente passa para você sua me dizer para gente será um risco para

safra nessa semana eu inclusive consultorias privadas que algumas empresa s o Brasil tirar uma lista de preços de fertilizantes nitrogenados isso porque com a paralisação das atividades de algumas empresas na Europa começa a ficar um pouco mais difícil para esse ficar essa alta do gás natural a um risco que está sendo monitorado pela CNA ou com a importação recorde de fertilizantes que a gente teve no primeiro semestre Você acha que a gente tá funcionário

confortável que se estende até a segunda safra de a kellyn a gen te não tá prevendo uma falta um desabastecimento o que tá que vai acontecer e já a gente já tá vendo isso é o aumento do preço e isso impacta no custo total da produção Então como você mesmo falou a gente viu aí é a compra importação recorde que teve então assim o medo que se tinha no começo do ano era que se ia ter ou não ia ter desabastecimento aqui para safra Mas de fato a gente nunca

imaginou aqui na CNA que fosse faltar a nossa preocupação é com relação ao curso ou produtor quanto que isso impactar no custo de produção essa isso que você falou para dentro da retirada do preço é porque o preço cresce sob não tem mais controle Então assim vai faltar a gente não acredita que vai faltar mas e valor que ele vai ser comprado essa que A grande questão essa questão dos fertilizantes foi muito falada né assim assim de novo a gente não consegue do dia para a

noite o Brasil e a sua produção porque não é a ssim que acontece mas pelo menos isso gerou uma um movimento uma acelerou um movimento que já vinha excursão aqui no Brasil e é a fragilidade que tem na cadeia a gente importar mais porcento sendo o Brasil o terceiro maior exportador de alimentos do mundo o maior exportador é líquida de alimentos no mundo então isso acelerou essa discussão interna com relação ao a gente diminui a nossa dependência externa e aumentar a

produção interna Mas objectivament e a gente não imagina que vai faltar mas vai impactar no custo cimento mais de preço né Gente eu quero agradecer a vocês que tá aí na o brilhante né uma semana Cheia de fatos na geopolítica na economia no agronegócio e com um time desse fica muito mais interessante para nossa audiência se informar Quero Agradecer demais a você Tiago Aragão diretor de estratégia da Harpa de vai se volte sempre o ar graduado você é muito bem-vindo é

muito obrigado um prazer e u

Risco-China aumentou? Saiba o que esperar da segunda maior economia do mundo! | HORA H DO AGRO

A seca que atinge lavouras chinesas desde o fim de julho e forçou a paralisação temporária de algumas fábricas do país somada à política de Covid-19 zero, crise imobiliária no país e aumento das tensões com os Estados Unidos têm pressionado o presidente da China, Xi Jinping. No programa Hora H do Agro deste sábado, 27, a jornalista Kellen Severo conversou com o diretor de estratégia da Arko Advice, Thiago Aragão, com o economista do Itaú Unibanco, Pedro Renault, e com a diretora de relações internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Sueme Mori. O chamado 'Risco-China' aumentou? O que esperar a partir de agora? Confira as respostas para essas perguntas e também outros temas abordados como os seis meses da guerra na Ucrânia, relação entre China e Estados Unidos e alta do gás natural na Europa e impactos no agro brasileiro. Assista na íntegra: https://youtu.be/WtldzIpLPmA Baixe o app Panflix: https://www.panflix.com.br/ Baixe o AppNews Jovem Pan na Google Play https://bit.ly/2KRm8OJ Baixe o AppNews Jovem Pan na App Store https://apple.co/3rSwBdh Inscreva-se no nosso canal: https://www.youtube.com/c/jovempannews Entre no nosso site: http://jovempan.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/jovempannews Siga no Twitter: https://twitter.com/JovemPanNews Instagram: https://www.instagram.com/jovempannews/ #JovemPan MOSTRAR MAIS

economia do mundo! | HORA H DO AGRO

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Noticias do Brasil e do Mundo

Blog de noticias